10 razões pelas quais não deve criar o seu próprio vídeo

7 min.

Criar vídeos não é apenas uma moda ou uma grande tendência, atualmente o vídeo integra as estratégia de marketing mais bem conseguidas do mercado. Instagram, Facebook, Youtube, Stories, Snapchat, vídeos de humor, vídeos de fitness, video flyers… o vídeo está, sem dúvida, em todo o lado. Até com as câmaras dos nossos telemóveis e com ferramentas simples como o Imovie ou o Movie Maker é possível fazer um vídeo, e nem é necessária uma equipa especializada para conseguir fazê-lo. Será que é mesmo assim tão fácil? Neste artigo vai perceber porque é que criar o seu próprio vídeo é a melhor forma de... perder dinheiro.

 

Criar um vídeo é um dos melhores investimentos que pode fazer para o seu negócio. No entanto o seu sucesso e custo dependem de vários fatores, nomeadamente talento, tempo e ferramentas. O resultado final será proporcional ao talento da equipa de produção e à qualidade das ferramentas utilizadas (software e hardware). Para tentar evitar alguns custos poderá sentir-se tentada ou tentado a recorrer a um amigo que “dá uns toques a filmar”, e a métodos faça-você-mesmo. Desta forma poderá conseguir uma aparente poupança inicial mas terá de despender uma enormidade de tempo para, eventualmente, conseguir um resultado minimamente profissional. Se o seu tempo é valioso e limitado, investi-lo num projeto que poderá falhar, levanta muitas questões.

 

Como em muitas outras áreas, criar um vídeo profissional não é resultado apenas de bons equipamentos e software. É resultado de anos de trabalho e aplicação de conhecimentos, de experimentação e erro, de uma capacidade de ver para além do óbvio, de uma experiência humana que permite desenvolver um olhar especialista. Eu até posso ler todos os livros de pintura mas isso não me torna um pintor de qualidade nem torna os meus quadros dignos de serem apreciados pelo público.

 

Assim passamos a elencar alguns aspetos pelos quais, criar um vídeo você mesmo, é, na maior parte das vezes, sinónimo de perder dinheiro:

 

1. Edição

A edição é um dos aspetos fundamentais que determinam o resultado final de um vídeo. Não basta saber os procedimentos técnicos para editar um vídeo, não é por conhecer algumas ferramentas de um qualquer software de edição, como o Movie Maker, por exemplo, que saberá editar, de facto, um vídeo. A edição de vídeo é um trabalho exigente em termos técnicos e criativos. A edição pode tornar um vídeo numa experiência verdadeiramente especial ou arruiná-lo por completo.

 

2. Inexperiência é sinónimo de ineficiência

Existem formas de atenuar a falta de experiência e uma delas é o tempo despendido. Como já lembrámos, investir tempo é investir dinheiro. Uma equipa especializada tem uma experiência que foi sendo adquirida através de outros projetos, permitindo-lhe conhecer o que funcionou noutras ocasiões com tipos de público diferentes. Esta vantagem comparativa dificilmente será atenuada por um produtor inexperiente. Se estivéssemos perante questões matemáticas, 2+2 seria sempre 4, mas em áreas criativas não é possível ser-se tão linear assim, por isso é que experiência é um aspeto tão importante na produção de vídeo.

 

3. Necessidade de um outro olhar

A nossa perceção pode ser distorcida por vários fatores. Quer pelo conhecimento que já tem acerca da sua empresa, quer pelas próprias preferências pessoais, a sua perceção está moldada. Os seus gostos e ideias estão já cristalizados e isso dificulta que se ponha na perspetiva do seu cliente, ou de um prospect que nada sabe acerca da sua empresa. É por isso que um olhar mais fresco por parte de uma equipa especializada é a forma ideal de criar um vídeo que deve inspirar, mais do que a si, aos seus clientes, porque é a eles que pretende chegar.

 

4. Tempo

Sim voltamos a referir o tempo que necessitará de investir. Quando decidiu criar o seu negócio, pensou em construir o edifício da sua sede ou loja com as suas próprias mãos? Porque não? O mesmo é aplicável em relação ao vídeo. Qualquer curso básico online para aprender a editar som e imagem requer dezenas de horas de exposição técnica e atividades práticas e depois disto apenas alcançará um nível básico de conhecimento. Não é possível atalhar a curva de aprendizagem, da mesma maneira que não é possível criar um vídeo sem qualidade e conseguir bons resultados.

 

5. Expetativas

Tudo depende das expetativas. Mas das expetativas de quem? Das suas e dos seus potenciais clientes. Complexo? Não é assim tanto, ora veja:

  • O seu objetivo é beneficiar do potencial do vídeo porque os estudos comprovam a sua eficácia.
  • As suas expetativas de retorno serão, ou não, superadas consoante a resposta de quem o visualiza.
  • Se o seu vídeo não consegue ser atrativo o suficiente e defrauda as expetativas dos seus clientes então as suas também o serão.
  • Se o seu vídeo é eficaz e consegue equiparar ou até superar as expetativas dos seus clientes então as suas também o serão.

 

Se bastasse ter um vídeo para ter os clientes todos à porta, todas as empresas produziriam o seu. Criar um vídeo não pode ser apenas um atalho para aumentar as vendas. Trata-se de um passo estrategicamente preparado de forma a alcançar objetivos específicos previamente definidos. Se não pensar no vídeo de uma forma estratégica, necessitará de um orçamento gigante para promover o seu vídeo. Valorize o seu tempo e o seu investimento, falando connosco. A propósito, depois do seu vídeo estar concluído, já pensou em como vai fazer para que ele chegue aos seus potenciais clientes?

Tags

Receba os nossos artigos
diretamente no seu e-mail