Quais os tipos de vídeos em animação que existem?

18 min.

As tecnologias ao nosso dispor permitem-nos estar sempre ligados. Mesmo longe, estamos perto.

Comunicar nem sempre é fácil, e em tempos de crise pode ser um desafio, mas nunca uma impossibilidade. É importante que as marcas preservem e alimentem a relação com o seu público em todas as ocasiões. E uma das melhores formas de o fazer é através de vídeos animados.

Sabe que tipo de técnicas existem? As diferenças entre elas? Qual o tipo de vídeo mais adequado para o seu negócio? Neste artigo dizemos-lhe tudo!

 

Técnicas de animação de vídeo

  • Animação 2D

 

Se o seu objetivo é contar uma história, o 2D pode ser a opção que procura. Esta é uma técnica muito usada para a apresentação de produtos e serviços, softwares ou spots publicitários.

Consiste em dar movimento a ilustrações, imagens ou formas planas em 2D. Este tipo de animação permite que sejam criados vários elementos diferenciados de forma mais rápida e objetiva.

É mais rápido de realizar do que um vídeo em 3D e, consequentemente, o investimento é menor.

 

  • Animação 3D

A animação 3D revela-se como uma espetacular evolução no mundo da animação. É a técnica mais próxima da realidade, fazendo com que o espectador sinta que se trata de um ambiente real. Isto é apenas possível devido ao uso de imagens com profundidade, adquirida através de sombras, reflexos, pontos de fuga, texturas e iluminação.

Este estilo possibilita uma maior imersão no conteúdo e por isso chama mais à atenção do espectador. Os vídeos em 3D transmitem maior  profissionalismo, o que é ótimo para impressionar o seu público e criar credibilidade no mercado.

A animação 3D permitiu acrescentar profundidade aos elementos e criar histórias e mundos que até então só existiam na nossa imaginação.

 

  • Motion Graphic 

 

O motion graphic é nada mais nada menos do que design em movimento. Qualquer vídeo com formas, imagens, fotos, ilustrações e até letterings em movimento é motion graphic.

É usado para criar anúncios publicitários, genéricos, vídeos e partilha de informação. Esta técnica tem um forte impacto visual no público.

O motion graphic é uma forma diferente e envolvente de comunicar com o espectador.

 

  • Stop Motion

Traduzindo à letra, stop motion significa “parar o movimento”. É obtido através de uma sequência de diferentes fotografias de um mesmo objeto inanimado, de forma a simular o seu movimento. Ou seja, o objeto escolhido é fotografado e vai sofrendo a cada foto uma leve mudança de lugar. Só quando juntas e reproduzidas em sequência é que as fotografias nos dão uma ilusão ótica de movimento.

 

Estilos/looks de vídeos em animação

  • Flat Design

 

Este tipo de estilo surgiu para contrariar a “poluição” visual e o excesso de informação a que somos submetidos diariamente, defendendo a ideia de que menos é mais. O flat design segue uma abordagem minimalista, o foco mais importante é a mensagem e, por isso, as cores e traços são muito simples.

As cores são sólidas e a imagem geral é elegante e moderna. São valorizados os espaços vazios e tudo o que não é essencial deve ser descartado.

O aparecimento do flat design foi tão revolucionário que atualmente existem diversos estilos que partiram do conceito inicial. Alguns deles são:

  • Flat Design com cores planas
  • Flat Design com preenchimento com texturas
  • Flat Design com contorno

O flat design é muito comum em vídeos promocionais, vídeos de User Interface de Softwares e infografias.

 

  • Isométrico

 

O estilo isométrico é uma evolução do flat design. Sabe aquele cubo que todos desenhávamos quando estávamos aborrecidos? O estilo isométrico é isso. Pode ser aplicado a qualquer tipo de vídeo.

Uma das grandes vantagens do estilo isométrico é permitir que uma maior quantidade de informação seja agregada no mesmo espaço.

Para simular a tridimensionalidade é aplicado um ângulo de 30º a todas as formas geométricas e são mantidas as mesmas escalas para altura, largura e comprimento a partir de um eixo. Desta forma, apesar de os objetos estarem representados a três dimensões, não podem ser vistos por um ângulo aleatório, têm sempre de estar de frente para um dos eixos.

 Devemos usar este estilo quando:

  • Queremos algo simples, mas com profundidade.
  • Queremos mostrar diversos detalhes no mesmo espaço e mostrar a informação interligada.
  • Queremos ter uma abordagem inovadora.

Quando vemos um vídeo feito neste estilo, os espaços são observados em perspetiva, sempre na diagonal e de cima para baixo.

 

  • Kinetic typography

 

Nos vídeos em que é usada a kinetic typography, as letras e palavras são as estrelas. Os objetos e formas são secundários.

A kinetic typography coloca o texto de forma muito atrativa. Este move-se através do ecrã como se estivesse a ser escrito ou revelado em tempo real, prendendo desde logo a atenção do espectador.

A informação, clara e dinâmica, tem feito destes vídeos um sucesso crescente nas redes sociais.

 

Tipos de vídeos em animação

  • Promocionais

 

O objetivo deste tipo de vídeos é criar no espectador o desejo de adquirir o serviço ou produto promovido. Estes vídeos mostram geralmente características e funcionalidades dos produtos, sem ser necessário apelarem à venda direta.

Neste tipo de vídeo o áudio pode ser fulcral, uma vez que causa uma sensação de emoção maior quando conjugado com as imagens.

 

  • Explicativos

 

Como o nome sugere, um vídeo explicativo pretende simplificar a explicação sobre um produto ou serviço, e apresentar uma solução para o público-alvo.

Os vídeos explicativos são ideais para simplificar conceitos complexos. O facto de pegar em temas difíceis e usar a animação para os simplificar torna-os muito atrativos para o público. O público mergulha na história e a mensagem é passada de forma rápida e eficaz.

Hoje, as pessoas preferem ver um vídeo sobre um produto do que ter de ir ao website procurar informação sobre ele. Além de explicativos, estes vídeos são também educativos, por isso 68% das pessoas dizem que este é o tipo de vídeos que preferem. As chamadas de suporte tendem a reduzir, uma vez que as pessoas ficam logo esclarecidas sobre os produtos.

 

  • User Interface Video (UI)

Explicar o uso de um software, aplicação ou programa nem sempre é fácil. Uma forma simples de chegar ao seu público e explicar o funcionamento de qualquer interface é através de um vídeo. Facilmente o utilizador vai perceber como pode interagir com o interface e compreender melhor a construção de todo o fluxo. Aliás, mais que perceber vai poder ver como fazê-lo e acompanhar passo a passo através do dispositivo que estiver a usar.

 

  • Social Media Content

 

Partilhar vídeos nas redes sociais de uma empresa ou marca tem um grande impacto, uma vez que são o tipo de conteúdo favorito dos utilizadores. Este é um conteúdo que, quando pertinente e bem realizado, pode tornar-se viral.

No contexto das redes sociais, as pessoas esperam já cruzar-se com um vídeo quando fazem scroll. Quanto mais impactante forem os primeiros segundos, maior é a probabilidade de que o vejam até ao fim e criem uma relação emocional com a marca.

Algumas ideias de vídeos que podem chamar a atenção do público são vídeos de bastidor e/ou making offs, apresentação de produtos, resumos de eventos, entre outros.

 

  • Informativos

 

Neste tipo de vídeos o mais importante é a linguagem e a forma como ela é organizada e apresentada. Focar no tema que pretende abordar é importante, por isso seja qual for o conceito que pretende dar a conhecer ao público, ele deve ser resumido e o mais objetivo possível.

O público valoriza o que é feito com qualidade e prefere ver vários vídeos que foquem diferentes assuntos específicos ao invés de apenas um, longo e com vários tópicos diferentes, que se podem tornar confusos.

 

  • Tutorial

 

O vídeo em formato de tutorial traz imensas vantagens para uma marca. Permite-lhe ensinar o público a fazer algo, passo a passo, ao mesmo tempo que promove o seu trabalho. Não só pode ajudá-lo a vender um produto ou serviço, como também o fará subir nos rankings de pesquisa, o que por sua vez vai dar mais credibilidade à marca. Por outro lado, pode diminuir os custos de suporte, garantias e devoluções. 

Os vídeos em formato de tutorial são muito procurados, pelo que há uma grande probabilidade de serem vistos por muitas pessoas. Quem procura aprender a fazer algo na Internet prefere que o conteúdo seja visual em vez de escrito. Por isso, escolher o formato de vídeo para a realização do seu tutorial é a opção mais acertada.

 

  • Infografias animadas

 

Se quer simplificar a apresentação de dados complexos, este é o tipo de vídeo pelo qual deve optar. Ao tornar esses dados visuais, vai facilitar a compreensão por parte do espectador. A forma como a informação aparece no ecrã vai guiando o olhar do espectador, fazendo com que se foque nos aspetos mais importantes.

Estes vídeos podem ser aplicados ao site, redes sociais ou qualquer tipo de plataforma que a empresa possua.

Caso os dados permitam e tal o facilite, uma infografia pode ser transformada num vídeo explicativo.

 

  • Produto

 

Facilmente se percebe que o objetivo deste vídeo é impulsionar a venda de um produto específico. O formato de vídeo permite-lhe mostrar o produto e os seus detalhes ao mesmo tempo que fala sobre ele, as suas características e vantagens e porque é que o espectador deve adquiri-lo.

Os vídeos de produto são muito dinâmicos e consequentemente mais atrativos. 

 

  • Title sequences/genéricos de filmes

 

Um bom genérico de abertura de um filme ou de uma série, ainda que curto, pode ser decisivo para o espectador continuar a visualizá-lo ou seguir para o próximo conteúdo.

Há genéricos de filmes e séries que são autênticas obras de arte. E, de uma forma geral, servem para apresentar criativamente o título, o elenco e a equipa de produção de um filme, série, documentário, programa de televisão, entre outros. Nos genéricos é espelhada a linguagem estética do conteúdo audiovisual e, por regra, um bom genérico é sinónimo de qualidade do produto audiovisual. 

 

  • Pós-venda e apoio ao cliente

 

O pós-venda é uma parte muito importante do fluxo de venda e não deve ser deixado de fora. E um vídeo é um excelente formato para comunicar este serviço. Além de dinâmico é também muito interativo.

Investir neste tipo de venda é uma ótima forma de fidelizar os seus clientes e aumentar a boa publicidade boca a boca. Os conteúdos podem ser os mais variados: continuar a dar dicas de utilização mesmo após o cliente ter já adquirido o produto, mostrar casos de sucesso, entre outros.

 

A importância do sound design nos vídeos em animação

Já imaginou como seriam os seus vídeos favoritos se lhes fosse tirado o som? Será que iria apreciá-los da mesma maneira? E se o som não tivesse nada a ver com as imagens? Pois é, o som é fundamental para a produção de vídeo e faz toda a diferença. Por exemplo, um filme de terror sem efeitos sonoros nunca causaria no espectador as mesmas sensações.

É muito importante que o áudio tenha qualidade. Uma imagem sem qualidade, mas com um bom áudio fará com que a mensagem continue a ser compreendida. Já o contrário não seria tão possível, pois é o áudio que auxilia na construção da imagem.

Sound design é a composição sonora de todo o vídeo, seja a música, a narração, ou os efeitos sonoros - o som da chuva ou do vento, de um carro a passar. Todos estes sons fazem parte da narrativa e vão dar ao vídeo um aspeto mais realista.

A escolha da música certa também é muito importante. É com a música que captamos a atenção do espectador e conseguimos que se envolva na história.

A música escolhida vai fazer com que o espectador crie emoção em torno da mensagem que se está a passar. Escolher a música errada pode fazer com que a mensagem não passe da forma que se pretende. É muito importante ter em conta que a música escolhida deve ser royalty free. Isto significa que por mais que goste muito de uma música e ache que é ideal para determinado conteúdo, pode não ser possível incluí-la no seu vídeo devido aos direitos de autor.

Contudo, se o seu vídeo vai ser narrado, é importante escolher a voz-off ideal. Nem sempre é possível passar a mensagem que se pretende somente através de imagens. Em muitas ocasiões é necessário complementá-las com uma mensagem falada, para que ela chegue ao público como se deseja.

O locutor deve ser escolhido conforme o tom que se pretende empregar na mensagem. A entoação e timbre usados influenciam o modo como ela é recebida. Por exemplo, uma voz feminina terá um tom mais passional, ao passo que uma voz masculina será mais assertiva.

Quando toma a decisão de incluir locução no seu vídeo é muito importante que o locutor seja nativo. Se o seu público é brasileiro, então a voz off deve ser feita por alguém que fale português do Brasil como primeira língua. Caso contrário corre o risco de a mensagem não ser percebida ou de a língua usada ser um fator de distração para o conteúdo que se pretende passar.

Eis a seguir um vídeo com sound design e o mesmo sem sound desing. Note a diferença: 

 

 

 

De uma forma muito geral, os conteúdos em vídeo são uma forma eficaz de comunicação, pois em pouco tempo permitem passar mensagens claras e com toda a informação necessária. Então quando falamos em vídeos em animação as vantagens são ainda maiores:

  • Causam um efeito visual muito positivo.
  • Têm uma produção mais barata do que outras formas de vídeo.
  • São divertidos, pelo que captam rapidamente a atenção do público.
  • São uma poderosa forma de narrativa visual.

Manter a sua marca em movimento nunca foi tão fácil. Fique em casa, mas deixe a comunicação sair.

Entre em contacto connosco para saber mais.

Receba os nossos artigos
diretamente no seu e-mail